Licenciatura em Ciências Biológicas

Formação Acadêmica

Sobre o Curso

O Curso de Ciências Biológicas constitui-se uma das áreas de formação docente da Faculdade de Formação de Professores de Araripina – FAFOPA, mantida pela Autarquia Educacional do Araripe – AEDA, que oferece a Licenciatura Plena em Ciências Biológicas.

Foi criado pela lei nº 1.368 de 28 de abril de 1975. Autorizado pelo Decreto Presidencial nº 83.466 de 21 de maio de 1979 e reconhecido pela Portaria Ministerial nº 48 de 15 de janeiro de 1991, publicada do Diário Oficial da união de 13 de maio de 1991.

O curso foi recredenciado em 12.06.2017 através do Parecer CEE/PE Nº 055/2017.

Os critérios de organização da matriz curricular, bem como, a alocação de tempos e espaços curriculares se expressam em eixos, conforme fluxograma em anexo.

O curso é oferecido em 08 (oito) semestres letivos, obedecendo aos duzentos dias letivos / ano dispostos na LDB e funciona em sistema de créditos.

Concepção do Curso

A nova realidade, hoje, no ensino de Biologia nos Cursos de Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas, apresenta uma necessidade premente de se implantar em curto, médio e longo prazo, uma política de desenvolvimento no campo do ensino, pesquisa científica e extensão universitária, que contemple os anseios e perfiz da nova perspectiva didático-pedagógica e científica no processo de formação do PROFESSOR para a EDUCAÇÃO BÁSICA, bem como, propicie uma maior integração universidade –comunidade.

Nesta óptica, busca-se o atingir aos objetivos estabelecidos neste Projeto Pedagógico do Curso de Ciências Biológicas da Faculdade de Formação de Professores de Araripina – FAFOPA.

Dentre as exigências que devem configurar o perfil identitário do professor, colocam para o papel do professor, as Diretrizes para a formação inicial de professores da educação básica em cursos de nível superior, instituídas pela  Resolução nº 02/2015.

Resolução nº 02/2015

I  –  à integração e interdisciplinaridade curricular, dando significado  e relevância aos conhecimentos e vivência da realidade social e cultural, consoantes às exigências da educação básica e da educação superior para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho;

II  –  à construção do conhecimento, valorizando a pesquisa e  a extensão como princípios pedagógicos essenciais ao exercício e aprimoramento do profissional do magistério e ao aperfeiçoamento da prática educativa;

III – ao acesso às fontes nacionais e internacionais de pesquisa, ao material de apoio pedagógico de qualidade, ao tempo de estudo e produção acadêmica-profissional, viabilizando os programas de fomento à pesquisa sobre a educação básica;

às dinâmicas pedagógicas que contribuam para o exercício  profissional e o desenvolvimento do  profissional do magistério  por meio de visão ampla do processo formativo, seus diferentes  ritmos, tempos e espaços, em face das dimensões psicossociais, histórico-culturais,  afetivas, relacionais e interativas que permeiam a  ação pedagógica, possibilitando as condições para o exercício do pensamento crítico, a resolução de problemas, o trabalho coletivo e interdisciplinar, a criatividade, a inovação, a liderança e a autonomia;

V  –  à elaboração de processos de formação do docente em  consonância com as mudanças educacionais e sociais, acompanhando  as transformações gnosiológicas e epistemológicas do conhecimento;

VI  – ao uso competente das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para o aprimoramento da prática pedagógica e a  ampliação da formação cultural dos(das) professores(as) e estudantes;

VII – à promoção de espaços para a reflexão crítica sobre as diferentes linguagens e seus processos de construção, disseminação e  uso, incorporando-os ao processo pedagógico, com a intenção de possibilitar o desenvolvimento da criticidade e da criatividade;

VIII  –  à consolidação da educação inclusiva através do respeito  às diferenças, reconhecendo e valorizando a diversidade étnico  racial,  de gênero, sexual, religiosa, de faixa geracional, entre outras;

 

IX  – à aprendizagem e ao desenvolvimento de todos(as) os(as) estudantes durante o percurso educacional por meio de currículo  e atualização da prática docente que favoreçam a formação e estimulem o aprimoramento pedagógico das instituições.”

Diante dessas novas demandas, torna-se imprescindível rever os modelos de formação docente, o que significa, conforme as mesmas Diretrizes:

  • Fomentar e fortalecer processos de mudança no interior das instituições formadoras;
  • Fortalecer e aprimorar a capacidade acadêmica e profissional dos docentes  formadores;
  • Articular a formação com as mudanças em curso na organização pedagógica e curricular da educação básica brasileira, preparando os professores para serem   agentes dessas mudanças;
  • Atualizar e aperfeiçoar os currículos face às novas exigências;
  • Articular a formação com as demandas da realidade escolar na sociedade contemporânea;
  • Garantir a oferta de recursos bibliográficos e tecnológicos em todas as instituições ou programas de formação continuada.

OBJETIVOS

Formar profissionais qualificados para atuar no ensino e na pesquisa, em diferentes áreas das Ciências Biológicas tendo como base critérios humanísticos, rigor científico e referenciais éticos e legais, comprometidos com a preservação e melhoria das condições de vida do planeta, com ênfase nos aspectos inerentes à realidade.

Instrumentalizar o Departamento de Ciências Biológicas com elementos didático-pedagógicos e técnico-científicos necessários para o desenvolvimento do Curso e suprir a região quanto ao déficit reclamado pela sociedade atual.

Implementar políticas de pesquisa e extensão universitárias na micro-região do Araripe e regiões circunvizinhas, em parceria com o CEPEC – Centro de Pesquisa e Extensão Cultural da AEDA e instituições congêneres.

Implementar uma política de valorização profissional de educação superior em Ciências Biológicas, que viabilize seu ingresso permanente, em cursos de Pós-Graduação em níveis de especialização, mestrado e doutorado.

Descentralizar as atividades universitárias através de ações interativas entre a comunidade acadêmica e a sociedade regional, adotando uma política de autonomia didático-pedagógica.

PROFESSORES


Atualizando…