Licenciatura em História

Formação Acadêmica

Sobre o Curso

Objetivando atender a Lei nº 9.394 de 20 de janeiro de 1996 e a Resolução nº 02/2015,  considerando que a “consolidação das normas nacionais  para a formação de  profissionais  do magistério para a educação básica  é indispensável para o projeto nacional da  educação brasileira, em  seus níveis e suas modalidades da educação, tendo em vista a  abrangência e a complexidade da educação de modo geral e, em especial, a educação escolar  inscrita na sociedade, o Departamento de História da Faculdade de Formação de Formação de Professores de Araripina – FAFOPA,  em reuniões de estudo, análise e consulta a documentos legais de orientação superior para embasamento teórico-metodológico com os seus professores, em consenso, reestruturam  a  Matriz Curricular do Curso de História, observando a priori os Componentes Curriculares, o direcionamento específico de cada área do conhecimento, a partir do seu ementário, e programas que integram a estrutura organizacional, no conjunto harmônico que contemplam a interdisciplinaridade, nos dispositivos legais.

A discussão sobre currículo e o aperfeiçoamento de práticas de planejamento participativo, bem como a preocupação com a construção do projeto político-pedagógico que confirme identidade e coerência às práticas escolares, comprovando a evolução que vem ocorrendo no modo de conceber o ensino, a organização curricular e as relações pedagógicas, e após os  resultados  das  discussões, elaboramos o presente Projeto Pedagógico que encaminhamos ao Colendo Conselho Estadual de Educação para apreciação e parecer competentes..

Esse estudo procurou desenvolver e pautar em algumas assertivas, em relação ao desenvolvimento do currículo e do plano de ensino desenvolvidos pela instituição enfocando os objetivos que a escola procura atingir, as experiências oferecidas para alcançar esses propósitos, a organização das práticas educativas e principalmente, os procedimentos que envolvessem o sentido e o papel do Planejamento Curricular dentro da instituição escolar que adequassem conceber a integração das diversas disciplinas, conservando a conexão vertical e horizontal entre os conteúdos, relacionando a  finalidade da educação e do currículo com o Projeto Político-Pedagógico da Instituição.

Dessa forma, a proposta de Reformulação Curricular pretende não só contribuir para a solução de problemas detectados no Curso de História, todavia também atender às exigências dos órgãos norteadores, e da Legislação Educacional vigente, bem como ao mercado de trabalho que se transforma a cada dia e exige dos currículos dos cursos superiores uma necessidade urgente e imprescindível de novos conhecimentos.

Considerando-se ser o conhecimento da História o primeiro passo para uma prática consciente e responsável da cidadania e levando-se em consideração os objetivos propostos pela  Instituição  como um todo, que visa dentro de suas possibilidades, dar ao aluno do Curso de História uma visão clara e precisa através do estudo da evolução social, das modificações estruturais e conjunturais, ou seja, de todo o processo de transformação da natureza e da sociedade, e de acordo com a nova Matriz Curricular definimos o perfil do profissional que doravante desejamos formar:

Perfil do Profissional

Profissionais com Habilitação de formação básica que lhes permitam atuar nos vários campos em que se faça necessário seu conhecimento;

Profissionais de consciência crítica que permita a compreensão da realidade educacional de Pernambuco, do Nordeste do Brasil e do mundo em suas múltiplas dimensões – social, política, econômica e cultural e da inserção destas, na realidade mundial;

Compromisso com a pessoa de cada aluno e com o grupo social sobre o qual incide sua prática educativa e sua responsabilidade social;

Compreensão da escola quanto a realidade concreta e inserida no contexto histórico-social e dos mecanismos de dominação, discriminação e exclusão aí existentes;

Capacidade de criar a cada momento, em sua área de formação e atuação, a escola que desejamos;

Profissionais com capacidade para atuar em equipe;

Profissionais com capacidade para reflexão acerca de novos conceitos, promovendo inovações na abordagem historiográfica;

Profissionais com capacidade para compreender o processo, tomar decisões e resolver problemas no âmbito da História, com base na realidade social, política, econômica e cultural;

Profissionais com capacidade para produzir e difundir conhecimentos;

Profissionais conscientes da responsabilidade social de seu trabalho;

Profissionais críticos, possibilitando-lhes conhecimento com verdadeiros cidadãos capazes de adotarem princípios e concepções do mundo real;

Profissionais capazes de analisar e acompanhar as transformações da sociedade, lembrando que cada homem é, no momento em que está vivendo, uma síntese do que foram todos os outros;

Profissionais com capacidade de formar cidadãos do amanhã, compreendendo que a realidade social resulta da ação de homens imbuídos de vontade, coragem e acima de tudo comprometidos;

Profissionais com capacidade de situar o homem no tempo e no espaço, fazendo um paralelo com as sociedades presentes, destacando seus valores, lembrando, acima de tudo, que a História não é o resultado de um produto de idéias mais ou menos brilhantes, de homens excepcionais, ou de ações fortuitas de heróis brilhantes, mas sim, o resultado de comportamento, de situações, de realizações que mudaram um tempo, uma época, resultando como inventário cultural do homem através dos tempos;

Profissionais aptos a formar cidadãos com espírito de pensador e pesquisador dos fatos humanos em todas as dimensões.

Dentre as exigências que devem configurar o perfil identitário do professor, colocam para o papel do professor, as Diretrizes para a formação inicial de professores da educação básica em cursos de nível superior, instituídas pela  Resolução nº 02/2015.

A Resolução nº 02/2015 orienta no Art. 5º que  a formação de profissionais do magistério deve assegurar  a base comum  nacional, pautada pela concepção de educação como processo emancipatório e permanente, bem como pelo reconhecimento  da especificidade do trabalho docente, que conduz à práxis como expressão da articulação entre teoria e prática e à exigência de que se leve em conta a realidade dos ambientes das instituições educativas da educação básica e da profissão, para que se possa conduzir o(a) egresso(a):

Resolução nº 02/2015

I  –  à integração e interdisciplinaridade curricular, dando significado  e relevância aos conhecimentos e vivência da realidade social e cultural, consoantes às exigências da educação básica e da educação superior para o exercício da cidadania e qualificação para o trabalho;

II  –  à construção do conhecimento, valorizando a pesquisa e  a extensão como princípios pedagógicos essenciais ao exercício e aprimoramento do profissional do magistério e ao aperfeiçoamento da prática educativa;

III – ao acesso às fontes nacionais e internacionais de pesquisa, ao material de apoio pedagógico de qualidade, ao tempo de estudo e produção acadêmica-profissional, viabilizando os programas de fomento à pesquisa sobre a educação básica;

às dinâmicas pedagógicas que contribuam para o exercício  profissional e o desenvolvimento do  profissional do magistério  por meio de visão ampla do processo formativo, seus diferentes  ritmos, tempos e espaços, em face das dimensões psicossociais, histórico-culturais,  afetivas, relacionais e interativas que permeiam a  ação pedagógica, possibilitando as condições para o exercício do pensamento crítico, a resolução de problemas, o trabalho coletivo e interdisciplinar, a criatividade, a inovação, a liderança e a autonomia;

V  –  à elaboração de processos de formação do docente em  consonância com as mudanças educacionais e sociais, acompanhando  as transformações gnosiológicas e epistemológicas do conhecimento;

VI  – ao uso competente das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para o aprimoramento da prática pedagógica e a  ampliação da formação cultural dos(das) professores(as) e estudantes;

VII – à promoção de espaços para a reflexão crítica sobre as diferentes linguagens e seus processos de construção, disseminação e  uso, incorporando-os ao processo pedagógico, com a intenção de possibilitar o desenvolvimento da criticidade e da criatividade;

VIII  –  à consolidação da educação inclusiva através do respeito  às diferenças, reconhecendo e valorizando a diversidade étnico  racial,  de gênero, sexual, religiosa, de faixa geracional, entre outras;

 

IX  – à aprendizagem e ao desenvolvimento de todos(as) os(as) estudantes durante o percurso educacional por meio de currículo  e atualização da prática docente que favoreçam a formação e estimulem o aprimoramento pedagógico das instituições.”

MATRIZ CURRICULAR

PROFESSORES


Atualizando…